51st State Master Set – Review

www-portalgames-pl-51st-state-master-set-195

Algures num futuro distante pós-apocalíptico, várias facções tentam-se reerguer naquilo que outrora fora os Estados Unidos da América (juro que não vou fazer piadas acerca do Trump!). Cada jogador tentará construir o “estado” mais valioso e ser declarado o 51st State.

Ora 51st State Master Set é o filho do seu próprio filho. Ou melhor ainda, é avô e neto ao mesmo tempo. Tudo isto porque este jogo surge como uma versão mais polida de Imperial Settlers (IS) que por sua vez é uma versão polida do original 51st State que foi publicado em 2010 (período onde Obama era o Presidente e o cenário apocalíptico do jogo original parecia desfazado da realidade).

www-portalgames-pl-promo-cards-set-for-51st-state-ms-319

E agora entram as danças sevilhanas da Catalunha

Mas então que nos trás de novo este 51st Imperial Settlers State?

Antes de mais, o designer está mais velho e experienciado (se bem que continua a falar pelos cotovelos) e compreendeu que aquilo que uma meia dúzia de pessoas achava interessante na versão original do jogo, era desprezado pela legião de fãs que IS acumulou. E como o Ignacy Trzewiczek não é homem para recusar um bom negócio, ele apercebeu-se que estaria na hora de induzir nova vida ao seu velho clássico.

51st State Master Set é essencialmente um jogo de gestão de mão com cartas multiusos onde cada jogador vai construindo o seu pequeno império feito de cartas e tokens, muuuuitos tokens! De madeira ou cartão, a editora não poupou esforços para nos inundar de componentes. Ou contrário do seu irmão mais velho (IS) – ou será o seu pai? Ou o seu filho se considerarmos o original? Bom, continuemos. Dizia eu que ao contrário de IS, o jogo termina no final da ronda onde um ou mais jogadores atingem os 25 ou mais Pontos de Vitória. O que matou a experiência para muitos que jogaram IS foi a infindável quinta ronda do jogo onde os jogadores acumulavam tantos recursos e faziam tantos combos entre cartas que era possível sair no ínício da quinta ronda, ver uma sessão de cinema e voltar a tempo antes do score final. Enquanto 51St é mais uma corrida em busca de uma optimização que permita acabar com o jogo antes que os outros o possam fazer.  Isso reduz o tempo de jogo quando comparado com IS. Mais do que isso, obriga os jogadores a estarem atentos aos adversários e à possibilidade destes “matarem” o jogo mesmo antes do seu motor começar prolificamente a carburar.dsc_00513

Repare-se na movimentação dos jogadores do Bayern, movimentam-se como figuras geométricas…o futebol é uma arte plástica!

No início de cada ronda em 51st, os jogadores fazem um draft de cartas. Um determinado número de cartas consoante o número de jogadores são colocadas no centro da mesa visíveis para todos. Depois os jogadores alternam, de acordo com a ordem de jogada, escolhendo uma das cartas. O processo repete-se então em ordem inversa de jogada. Depois das duas novas cartas adquiridas, os jogadores recebem a produção do seu pequeno império. O seu tabuleiro de facção e algumas das cartas produzem nesta fase, dando ao jogador recursos tais combustível, metal, armas ou tijolos, ou mesmo munições, cartas, trabalhadores ou tokens de contacto.

Tokens de contacto? Sim, tokens de contacto.

Durante a fase que se segue, a fase de acção, os jogadores alternam fazendo uma das várias acções. Quase todas as acções requerem o uso dos chamados tokens de contacto. E eles existem em três sabores distintos: Vermelhos, Cinzas e Azuis.

dsc_0009

Lá vai Paneira no seu estilo inconfundível… mas não, é Veloso!

Sabor Vermelho: Ao descartar um certo número de tokens de contacto vermelhos o jogador pode destruir uma carta da sua mão (ou mesmo de um adversário) e com isso ganhar alguns recursos;

Sabor Azul: Ao descartar um certo número de tokens de contacto azuis o jogador pode usar uma carta como um negócio (“deal”) e colocando-o praticamente coberta pelo seu tabuleiro de jogador com apenas o benefício que a carta providencia visível. Na fase de produção, cada negócio produzirá para o jogador o benefício indicado.

Sabor Cinza: Ao descartar um certo número de tokens de contacto cinza, o jogador pode construir uma carta da sua mão. As cartas podem ser edifícios de produção, edifícios de acção onde os jogadores podem colocar os seus trabalhadores e executar a respectiva acção, ou edifícios que providenciam uma habilidade/poder constante ao jogador durante o jogo. As cartas que providenciam acções convertem normalmente os recursos que os jogadores vão acumulando em outros recursos ou mesmo em pontos.

Existem outras formas de construir, ou outras conversões de recursos que podem ser feitas, mas que não vou entrar em detalhe porque apenas vos queria deixar a ideia geral do jogo.

dsc_0001

Juskowiak… a vantagem de ter duas pernas!

Ao contrário de IS onde os jogadores geram recursos para os poderem gastar de seguida na construção/destruição das suas cartas , 51st introduz um segundo nível de conversão: os tokens de contacto. Estes são usados para permitirem a construção/destruição das cartas que só posteriormente produzirão recursos ou serão activadas.

Se há primeira vista isto parece ser uma complicação desnecessária ala Gabriel Alves, é este factor que me faz verdadeiramente gostar deste jogo: o facto de que não se pode fazer tudo com um passo gigante, mas sim acumular pequenos passos que por sua vez abrirão outras possibilidades para uma série de outros pequenos passos. Parece-me que esta estratificação por layers é o que impede este jogo de ter um “mega-turno” final como o que acontece em IS e que, na verdade, é o que me faz ter vontade de cortar os pulsos (ou ir ao cinema).

51st-state-karten

Esférico para um lado, bola para o outro!

Este jogo teve uma clara vantagem no seu desenvolvimento quando comparado com muitos outros saídos entretanto. Ele acumulou a experiência do design inicial (e a experiência de todos os que o jogaram como se tratasse de uma gigante sessão de playtest) e corrigiu alguns dos problemas que surgiram eventualmente com IS. O jogo é viciante e apesar de não ter a assimetria de IS, permite uma maior diversificação de estratégias. Sendo um jogo de cartas e como tal, estando os jogadores sujeitos á sorte das cartas que saem, é mais fácil corrigir a nossa direcção aqui do que em IS onde o baralho da nossa facção dita muito da nossa estratégia.

Os componentes do jogo são excelentes e as ilustrações são fabulosas. Aqui nada a apontar quando comparamos por exemplo com o exurbitante preço pedido por esta mesma editora pelo seu próximo jogo: “First Martians: Adventures on the Red Planet”. Mas sobre isto falarei numa outra altura.

O único senão é que o jogo permite oficialmente jogar a solo, mas a versão solo é muito básica e é fácil bater o oponente virtual. Nota-se que houve muito pouco cuidado em criar uma boa versão solitária e o que foi proposto surgiu apenas da necessidade comercial de colocar aquele número “1” na caixa. Para alguém como eu que tem um forte interesse nas versões solitárias dos jogos, este “pequeno” detalhe deixa um travo amargo na boca.

O livro de regras também deixa um bocado a desejar porque apesar de bem escrito, tenta utilizar um estilo cómico/agressivo que por vezes soa apenas a palerma.

De resto, só posso dizer boas coisas acerca do jogo!

img_8828

E as palmas saem de cima para baixo

Se gostas de jogos de cartas, onde as cartas podem ser usadas para diversos fins, onde há uma salutar intereacção entre jogadores e onde podes traçar diversos cenários de como deves utilizar mais eficientemente as cartas em mão, este jogo é para ti.

Se gostas do Imperial Settlers mas começas a ter pensamentos psicóticos de cada vez que te apercebes que a última ronda nunca mais chega ao fim, este jogo também é para ti.

Se gostas do original 51st State e não tens problemas que o jogo seja agora um bocado mais aberto em termos de estratégia, pois bem, adivinhaste, este jogo é para ti.

E aqui está, um golo substantivo que nem pode ser adjetivado

O Gabriel Alves tirou-me as palavras da boca. Já não há mais nada a dizer.

Um abraço a todos, fiquem bem e joguem muitos jogos!

Anúncios

Uma opinião sobre “51st State Master Set – Review”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s